Microbiota e toxoplasmose



O trato gastrointestinal de mamíferos é densamente colonizado por uma ampla variedade de microrganismos necessários à manutenção da homeostase e função intestinal e, por isso, vital para a fisiologia normal do hospedeiro. A microbiota também está relacionada à progressão de muitas doenças, principalmente infecções entéricas. O desequilíbrio da comunidade microbiana pode levar à suscetibilidade do hospedeiro e, consequentemente, à várias infecções. A toxoplasmose, doença causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, é conhecida por gerar várias manifestações patológicas, desde meningoencefalite até doença inflamatória intestinal. Após a infecção oral, uma resposta imune na mucosa é rapidamente induzida para prevenir a disseminação do parasito. 


Em trabalho realizado no Laboratório de Imunologia da UFU, sob orientação da Profa. Dra. Neide Maria da Silva, foi observado que o uso de probióticos (L. casei Shirota e L. acidophilus) foram capazes de auxiliar na diminuição da inflamação intestinal em infecção experimental oral por T. gondii em linhagens de camundongos suscetíveis a ela. Um dos mecanismos para a redução da inflamação intestinal foi a diminuição de mediadores pró-inflamatórios e conservação da expressão de óxido nítrico-sintase induzida (iNOS), molécula importante na eliminação do parasito. O tratamento com esses probióticos também mostrou eficácia em diminuir o parasitismo e a ileíte associada à infecção por T. gondii.




Dra. Layane Sousa

Dr. Rômulo Sousa

ICBIM - UFU



Imagem: CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças)

38 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo