Jovem, depressão e suicídio



A saúde mental de adolescentes e jovens adultos é prioridade mundial. A depressão encontra-se em primeiro lugar no ranking das causas que comprometem o desempenho de jovens estudantes. Segundo a OMS, o suicídio é a segunda maior causa de morte entre a faixa de 18-34 anos de idade - sendo a depressão contribuinte. Esta desordem do humor altera as capacidades de controle cognitivo relacionadas às habilidades de aprendizado e memória, atenção (foco), raciocínio, resolução de problemas e planejamento diário.

A passagem da adolescência para a vida adulta pode provocar alterações físicas e comportamentais desencadeando a depressão. O jovem adulto pode apresentar sinais importantes para detecção da depressão tais como: autodepreciação, tristeza profunda sem motivo aparente, apatia, angústia, distúrbios do sono, alteração do apetite. O sintoma mais contundente é a ideação/tentativa suicida pelo sentimento de desvalia. Entre os estudantes, que se encontram longe de casa pela primeira vez, essa desordem pode surgir repentinamente. Essa nova fase da vida pode ser associada a estresses não vivenciados antes.


A depressão pode ser desencadeada também por drogas de abuso. Assim, ao depararmos com amigos e parentes com tais comportamentos, a primeira coisa a fazer é conduzir ao profissional psiquiatra, pois este é quem possui as ferramentas para executar adequadamente as abordagens terapêuticas, biológicas (medicamentos) e não-biológicas (psicoterapias, exercícios físicos, etc) necessárias. O mais importante é saber que depressão pode ser muito bem tratada para que a vida possa ser poupada.


Profª. Drª Benvinda Rosalina dos Santos ICBIM - UFU

1 visualização0 comentário