top of page

A utilização de fitoterápicos na saúde reprodutiva




As plantas medicinais têm sido utilizadas tradicionalmente por diferentes civilizações ao longo da história. Com o tempo, o conhecimento popular foi complementado por estudos científicos que buscaram conhecer as moléculas presentes nessas plantas e seus efeitos no organismo.  


Os fitoterápicos contêm substâncias químicas, denominadas princípio ativo, com propriedades medicinais, utilizados na forma de chás, pomadas, entre outras preparações para prevenir, aliviar ou tratar diversas condições de saúde. Sua origem natural muitas vezes é percebida como uma alternativa mais suave em comparação com medicamentos sintéticos. No entanto, é importante destacar que nem todos os fitoterápicos são livres de efeitos colaterais e seu uso deve ser orientado por profissionais de saúde.  


Na área de biologia da reprodução, foi mostrado que o ginseng e a moringa são eficazes contra a disfunção erétil, assim como a genisteína, extraída da soja, tem sido promissora nos testes para controle do crescimento de tumores, como de próstata e mama. Portanto, acredita-se que a fitoterapia pode desempenhar um papel importante no desenvolvimento de novos fármacos, visto que as plantas medicinais podem ser uma fonte valiosa de compostos ativos. Além disso, tende a preservar a memória de populações tradicionais, uma vez que os conhecimentos sobre uso de fitoterápicos muitas vezes é transmitido entre gerações, o que contribui para a preservação da diversidade cultural de um povo. 






Prof. Dr. Marcos de Lucca M Gomes 

UFTM









6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page